WORKSHOP: DESBLOQUEIO CRIATIVO

Salve pessoal! O Dínamo Studio estará com vários workshops de férias neste inverno, e eu estarei ministrando o workshop de DESBLOQUEIO CRIATIVO!

Através de atividades práticas, apresentarei técnicas simples para serem usadas no dia a dia, atividades em grupo que trabalharão a imaginação e o improviso na solução de problemas recorrentes a todos aqueles que usam a criatividade no meio visual, com uso de referencias e recursos ao alcance do artista.

QUANDO: 23 e 30 de Julho (quintas-feiras).

DURAÇÃO: 6 horas – em duas aulas de 3 horas cada

HORÁRIO: 15h ás 18h;

ONDE: Dínamo Estúdio (Bairro Santa Maria Goretti – Passo D’Areia);

QUANTO: R$ 150,00;

INSCRIÇÕES AQUI.

Vagas limitadas, CORRE LÁ!!!

Anúncios

APRENDENDO COM PROFISSIONAIS

Nos dias de hoje se encontra de tudo na internet, dês de receita de bolo até como construir uma bomba nuclear. Por isso ando sempre buscando referências e técnicas novas de desenho pra estudar e melhorar meu trabalho.

Separei aqui alguns canais muito interessantes a qual ando de olho ultimamente.

DANIEL HDR ART

Canal do meu amigo Daniel HDR, onde ele sempre posta o seu processo de trabalho e também sobre suas viagens para eventos de quadrinhos e afins. É excelente pra quem quer saber um pouco mais sobre o trabalho de desenhista e também muitas vezes serve como extensão dos episódios do ARGCast – Podcast do Dinamo Studios a qual participo ocasionalmente.

STANLEY ARTGERM LAU

Stanley Lau, conhecido com Artgerm nasceu em Hong Kong e com sua arte impecável já realizou trabalhos para muitas empresas de quadrinhos e games. Adoro as cores deste cara, e em seus videos você pode acompanhar o trabalho dês do lineart até a conclusão em detalhes. Volta e meia ele faz um stream ao vivo e fica um chat ao lado onde várias pessoas interagem enquanto ele trabalha. Para ver os videos do Artgerm, acesse seu Livestrem AQUI

SCOTT ROBERTSON

Scott é fundador da editora Design Press Studio e professor na Art Center College Design. Em seus videos ele da dicas valiosas e demonstra seu processo de criação. Vale muito a pena ficar assistindo os videos de seu canal.

Existem muitos outros vídeos e coisas interessantes na rede, farei mais posts com recomendações assim que possível. Caso tenha algum canal ou artista que você acompanhe o trabalho, deixe a recomendação nos comentários! Abraço e até mais!

DESENHISTA AUTODIDATA PRECISA DE CURSO DE DESENHO?

Assim como eu, muitas pessoas começam a desenhar por conta, de uma forma autodidata, e acreditam que sua técnica pessoal dispensa qualquer tipo de curso de desenho – Mas será que sozinho um desenhista autodidata pode desenvolver bem todas as suas técnicas? Será que apenas com seu traço e seu “dom” ele pode encarar uma carreira profissional na área?

EU COMO AUTODIDATA

Eu peguei gosto pelo desenho através do sangue, pois meu pai e meu irmão sempre desenharam. Fui desenvolvendo uma técnica de desenho autodidata e sempre chamava a atenção  na escola, entre amigos e parentes. Meu irmão, que também era autodidata, começou a fazer o curso de desenho com o hoje meu amigo e colega de estúdio Daniel HDR, e foi me falando de técnicas de desenho e narrativa que ele havia aprendido no curso. Alguns anos mais tardes eu entrei no curso e comecei do básico, achando que nada me seria útil por ali – Grande engano. Por mais que eu já tivesse um traço desenvolvido, no curso aprendi técnicas de proporção e anatomia, exatamente o ponto onde os desenhistas autodidatas mais pecam. No decorrer do curso fui aprendendo sobre técnicas de quadrinhos, narrativa, composição de cenas e tantos outros fatores que sozinho eu levaria muito mais tempo para aprimorar.

“MAS ISSO É UM DOM”

O autodidata muitas vezes é muito confiante em seu traço, pois se vê confortável em fazer coisas que já domina, recebendo elogios de pessoas leigas no assunto, mas quando seu trabalho é apresentado a alguém que já trabalha no ramo e tem um olhar mais técnico, acaba vendo onde estão suas falhas. Por estar acostumado a desenhar só aquilo que domina, o autoditada se vê perdido quando desafiado a fazer algo que não possui técnica (como drapeamento de tecido, animais, cenários, perspectiva…). Aqueles que não desenham costumam dizem “Nossa, mas isso é um dom”, como se fosse uma habilidade divina quem veio implantada na pessoa quando ela nasceu – Mas eu discordo um pouco. Claro que existem os gênios que desenvolvem técnicas perfeitas sozinho, mas eu não fui assim e acredito que a maioria das pessoas também não seja, e ao meu ver este “dom” é apenas a facilidade que a pessoa tem pra assimilar técnicas desenvolvidas através da prática exaustiva. Sou da teoria de que qualquer pessoa pode fazer qualquer coisa, o que varia é o grau de facilidade ou de dificuldade que ela terá para chegar lá, para algumas é mais simples e para outras denota mais empenho e dedicação – Cada um tem seu ritmo. Alias, algumas vezes alguém que não tem base nenhuma em desenho consegue aprender as técnicas melhor que uma pessoa autodidata, pois esta muitas vezes já possui vícios de traço que precisa flexibilizar para uma forma diferente de resolver determinada figura.

Recomendo para todos aqueles que gostem de desenhar e são autodidatas fazer algum curso para aprenderem novas técnicas e aprimorar aquilo que já dominam. Humildade é fundamental não só na área do desenho mais em qualquer área que você queira crescer na vida, e por mais que tenhamos conhecimento em um determinado assunto, sempre se terá algo novo a aprender – E é sempre preciso estar se aprimorando para não ficar para trás.

(Obs.: Para quem for de Porto Alegre e arredores, existe o Curso de Quadrinhos Dinamo, mais informações AQUI.)

REFERÊNCIAS QUE ENCONTRAMOS POR AI

Encontramos de tudo na internet, e muitos artistas a usam para poderem divulgar seus trabalhos. Vou dividir com vocês links de artistas muito bacanas, que podem servir até de inspiração ou referência.

Eu estava vagando pelo Deviantart e encontrei estes desenhos que o artista theDURRRRIAN fez baseado nos Vingadores, mas puxando para um lado de fantasia medieval. Já não é a primeira vez que vejo os Vingadores representados desta forma, mas confesso que a visão dele foi uma das que mais me chamou a atenção.

Ele possui um trabalho muito bonito aparentemente feito todo no PC, composto de traços soltos e rápidos que compõem imagens muito bonitas. No momento estou sem uma mesa digitalizadora, mas assim que conseguir uma, pretendo fazer alguns estudos e experimentos tentando usar este estilo de traço.

Acredito que vale a pena conhecer novos artistas, estudar como eles solucionam a forma de representar a realidade e quem sabe absorver um pouco de sua técnica. Os artistas estão em constante evolução, e precisamos aprender uns com os outros.

Veja outros trabalhos do the DURRRRIAN em sua página do Deviantart AQUI.

A ARTE DE ENSINAR

Como já falei aqui outras vezes, sou monitor do curso de quadrinhos do Dinamo Studio aqui em Porto Alegre, e neste último sábado eu tive a experiência de ministrar uma aula. Neste poste irei comentar as minhas experiências em lecionar e monitorar.

PRIMEIRAS AULAS

Há muitos anos, acredito que em 2004, a pedidos de alguns amigos eu ministrei um “curso” de desenho na escola a qual havia feito o ensino médio em Três Passos, interior do estado. Era um curso de vinte aulas a qual eu havia usado revistas de “aprenda a desenhar” como base para montar a didática. Tive apenas dois alunos mas foi muito interessante (na verdade tive um terceiro que era uma praga e depois que ele saiu da sala do nada e eu arremessei o material dele pela porta, ele nunca mais voltou). Eu nunca havia tido um curso de desenho, apenas havia assistido algumas vezes meu irmão tendo aulas no curso de desenho a qual monitoro hoje, mas foi uma experiência interessante. Mais tarde eu dei aulas de desenho particular para um garoto.

MONITORANDO

Me tornei monitor no curso de quadrinhos em meados de 2008, quando entrei no estúdio. Sempre achei interessante monitorar nas aulas, pois além de uma forma de relembrar as aulas é bacana analisar os exercícios dos alunos e ajudá-los a encontrarem a solução. Uma das aulas a qual mais gosto de trabalhar é do nível dois do curso, onde o foco são as técnicas de quadrinhos e arte-sequencial. Nesta aula eles precisam fazer uma releitura de algumas páginas de alguma revista que eles gostem. É muito gostoso quando eu consigo ajudá-los a criar e elaborar a página, mostrar um caminho a qual eles não haviam notado. De certo modo eu acabo aprendendo junto com eles.

Eu ainda tenho muito o que aprender, mas quando estou lá no curso ajudando os alunos consigo ver o quanto eu evoluí. Agora entendo o porque de tantas pessoas se tornarem professores mesmo sendo um trabalho as vezes estressante e mal remunerado. Não existe nada mais gratificante do que ver alguém aprendendo e aprimorando o conhecimento e saber que você auxiliou naquilo de alguma forma. Ensinar não é uma tarefa das mais fáceis, mas é extremamente divertida.

ENSAIOS DE MODELO VIVO

Para quem não sabe eu sou monitor no curso de quadrinhos do Dinamo Studio aqui em Porto Alegre. O curso possui em seu primeiro nível aulas de modelo vivo, onde os alunos estudam a observação e trabalham a velocidade do traço. Neste último sábado eu aproveitei para participar da aula e praticar, aqui estão alguns estudos que fiz:

Desenho feito para pose de 10 min.

Desenho feito para pose de 10 min.

Desenho feito para pose de 5 min.

Desenho feito para pose de 5 min.

Desenho feito para pose de 5 min.

Desenho feito para pose de 5 min.

JULHO – S03E07

Pois é, andei longe do blog devido a alguns problemas, como a falta de internet e coisas assim, mas hoje estou voltando deste período de exílio forçado. Julho promete ser um mês bem movimentado, com vários trabalhos e até a visita de Joe Prado por aqui.

Fiquei afastado da internet por quase três semanas, o que bagunça um pouco as coisas quando você retorna. Nas ocasionais vezes que eu me conectava, era soterrado pela avalanche de e-mails a serem respondidos (ou apenas deletados), as notícias atrasadas e outras coisas que você deixa de ver quando fica “fora da Matrix”. Este blog ficou sem atualizações e devido a isso as visitas caíram vertiginosamente neste período. Eu já fiz um post sobre a pessoa ficar “desplugada” da internet (leia AQUI), mas uma coisa é você se desplugar por opção, e a outra é a forma forçada (ter que recorrer a wi-fi e lan-houses para verificar trabalhos e e-mails é complicado). Acabei usando este tempo para ler mais e focar nos roteiros que estou escrevendo e praticando novas técnicas de desenho.

Um desenhista deve ser versátil para se adaptar aos diferentes tidos de trabalhos que surgem pelo caminho. Meu traço principal é o mangá shonen, mas trabalhar somente com este traço é difícil, ainda mais aqui no Brasil. Devido a isso eu estou praticando e aprimorando meu traço no estilo acadêmico, para me aventurar em trabalhos com quadrinhos americanos. O desenhista Joe Prado estará aqui no estado para avaliar trabalhos, e quero ter um bom material para poder apresentar.

Meus projetos pessoais como o reboot da Dragão Escarlate não foram abandonados. Acredito que com uma boa organização, é possível dar conta de várias coisas, porém a prioridade neste momento vai ser para os testes para o mercado americano. O reboot da Dragão Escarlate esta sendo bem trabalhoso, e decidi que vou escrever uma boa parte do roteiro antes de começar a produção, para evitar eventuais contratempos no decorrer da trama.

Enfim, o segundo semestre promete ser bem agitado e com muitas surpresas –  o que é sempre muito bom. Para que não ocorra de o blog ficar sem postagens, vou deixar vários posts já na reserva para entrarem no ar (tentarei manter a periodicidade de pelo menos um post por semana). Postarei relatórios sobre o andamento dos meus trabalhos e dos projetos que ando fazendo, fique de olho.

Lendo: Li as graphic novels “Batman – O Cavaleiro das Trevas” e “Os Leões de Bagdá” . Ainda tentando ler “A Batalha do Apocalipse”do Eduardo Sphor (mas sempre aparece algo pra eu ler >_<).

Assistindo: O anime Gosick.

Ouvindo: Ainda no “Tecnotango”