LIST OPEN TO SKETCH CARDS!!!!

I have the ARTIST’S PROOFS of the following collections:

– DC Comics Batman: The Legend
– DC Comics Superman: The Legend
– Marvel Heroes & Villains
– Marvel Greaest Battles
– Marvel Avengers
– Marvel Universe
– Marvel Bronze Age
– Marvel 75 Years

PRICE LIST:
Close up: $30,00
Half Body: $50,00
Background: +$15,00


My friend Daniel HDR (Legion of Super-Heroes, Avengers, Smallville S11, Green Lantern Corps) will be at NYCC 2014, into Artist Alley and you can pick up the commission direct with him!
Email with the subjetc “SKETCHCARD” to rodjer.goulart@gmail.com

 

QUAL A TENDÊNCIA DOS FILMES DE HERÓIS?

Não sei se o mundo vai acabar no fim deste ano, mas se assim ocorrer acredito que os nerds ficarão felizes pois tivemos no cinema algumas das películas de super-heróis mais esperadas dos últimos anos. Partindo de um grupo de heróis vingativos até o recente fechamento da saga do morcegão, hoje vamos falar um pouco sobre como os heróis estão representados nas telonas e vamos cagar regra sobre o que virá pela frente.

VINGADORIZAÇÃO

Os filmes de super-heróis normalmente eram direcionados as crianças, o que os tornavam muitas vezes bobos e distantes da imagem representada nas suas origens. Acredito que um dos primeiros filmes de super-heróis voltado para um público mais adulto foi O Corvo no começo da década de 90. Nos anos 2000 a Marvel resolveu investir nas adaptações cinematográficas, partindo de personagens pouco conhecidos como Blade, passando pelos mutantes dos X-Men, mas foi com Homem de Ferro que conseguiram encontrar a sua fórmula de sucesso – A harmonia entre ação e humor com muita fidelidade aos quadrinhos. Teve então a inciativa Vingadores, e cada filme solo de herói da Marvel servia de preparação para o ambicioso projeto de filmar uma das maiores equipes de personagens dos quadrinhos. Os filmes da Marvel Studios são muito bons, porém acabavam perdendo em parte por terem que dividir espaço com o elo que estava sendo criado para o filme dos Vingadores.

DARK KNIGHTIZAÇÃO

Ao contrário da Marvel, a DC não estava tendo tanta sorte nas películas com seus personagens, porém quando chamaram o diretor underground Christopher Nolan para o reboot de Batman as coisas mudaram. Tentando trazer um tom mais pé no chão para o personagem, Batman Begins foi ousado em pegar um dos personagens mais famosos da editora e coloca-lo em uma trama para um público mais adulto. O problema da proposta mais realista é que as pessoas acabam por torcer o nariz nos momentos em que a licença poética é aplicada, já falei sobre isso AQUI. Uma das provas de que a trilogia de Nolan foi uma obra-prima é que mesmo as pequenas notas foras do tom os filmes conseguiram cativar praticamente todo o público e crítica, e mostraram que filmes de super-heróis podem ter um teor mais adulto e profundo.

O QUE VIRÁ?

A Marvel tem suas franquias de personagens divida com outras produtoras como a FOX que detêm títulos como X-Men e Quarteto Fantástico e a Sony que possui a franquia do Homem-Aranha (Aliás, a Fox esta para perder os direitos do personagem Demolidor e precisa fazer um filme do personagem o quanto antes, caso não façam e queiram mante-lo precisarão ceder dois personagens para a Marvel Studios – Galactus e Surfista Prateado). Com o filme do Lanterna Verde a DC tentou seguir um perfil mais próximo aos filmes da Marvel, mas o resultado foi um fracasso, e pelo que se vê do novo filme do Superman que será lançado em 2013, eles pretendem seguir uma linha mais adulta no estilo Dark Knight. Acredito que não seria uma boa estratégia da DC tentar concorrer fazendo filmes na linha da Marvel, e que eles deveriam mesmo investir nesta pegada mais realista dos filmes de super-heróis, assim oferecendo um produto diferente da sua concorrente e pegando um outro tipo de público.

Pelo que podemos ver a tendência é que Hollywood comece a acertar mais nas adaptações de quadrinhos. Filmes que não são pensados apenas para fazer dinheiro mas que também respeitem o fã e a essência do personagem. Adaptações são sempre complicadas, e normalmente o público nerd é bem exigente quanto aos detalhes, mas se as produtoras continuarem no caminho que estão indo nós agradecemos.

ASCENÇÃO E QUEDA DA POPULARIDADE DOS HERÓIS

Na última quinta-feira, eu e meu amigo colega de estúdio Daniel HDR ministramos, em nome da Staedtler, algumas oficinas de desenho e quadrinhos em uma escola de Porto Alegre para crianças na faixa de 6 a 10 anos. Durante as oficinas atendíamos a pedidos de desenhos de personagens que elas solicitassem, e podemos ver quais os heróis que estão mais e os que estão menos populares entre os pequenos.

NO MEU TEMPO…

Na minha infância (década de 80), os super-heróis mais populares eram os da DC, com Superman e Batman como carro-chefe. Havia o desenho dos Super Amigos, os seriados do Batman, da Mulher-Maravilha e os filmes do Superman com Christopher Reeve que propagavam os personagens da DC na cultura pop muito além dos quadrinhos. Dos poucos personagens conhecidos da Marvel, o Homem-Aranha e o Hulk eram os mais populares entre o povão. Nos últimos anos a Marvel decidiu investir pesado no cinema e seus personagens tiveram boas (e nem tão boas) adaptações, mas foi com Homem de Ferro que a eles acertaram de vez e começaram a reverter o jogo.

SUCESSO DE FERRO

Eu lembro que Homem de Ferro foi o primeiro filme de super-herói que eu vi pessoas que não conheciam nada de quadrinhos gostarem muito. A interpretação do Robert Downey Jr. como Tony Stark foi memorável, pois seu jeito divertido e sarcástico deram muito mais ao filme do que cenas de ação e aventura de um super-herói (que é o que mais acontece em filmes do gênero). Pessoas que nem conheciam o personagem passaram a adora-lo, e não a toa ele se tornou uma das figuras mais pops da editora (junto a Homem-Aranha e Wolverine). Dos pedidos de desenhos das crianças, acredito que quase metade pediu desenho do Homem de Ferro, e fiquei surpreso que algumas pediram desenho do Tony Stark. Foi a primeira vez que pediram para eu desenhar um super-herói sem seu uniforme, e isso evidencia mais o sucesso de Downey Jr. (nunca me pediram “desenha o Peter Parker pra mim”, ou “faz o Bruce Wayne que eu acho ele foda”). As crianças costumam gostar dos heróis que mais se identificam, por este lado é engraçado que elas gostem de um bilionário, filantropo, playboy e bêbado.

CAPITÃO AMÉRICA, AQUAMAN E OS IMPOPULARES

Como o HDR desenhou o prelúdio do filme dos Vingadores (a qual já comentei AQUI), e devido ao filme ainda estar em cartaz, 90% dos pedidos de desenho foram de personagens da Marvel. Em ordem, o segundo mais pedido foi o Hulk e o terceiro o Thor. Não vimos apenas que o Homem de Ferro é muito popular, como também que o Capitão América já não brilha tão forte assim. Para terem uma ideia, teve mais pedidos de desenho do Gavião-Arqueiro e da Viúva Negra do que do herói patriota. Dos heróis da DC foram solicitados apenas Batmans, Mulheres-Gato (que além dos ótimos filmes do Nolan estão em alta com o jogo Arkham City) e “UM” Aquaman, que gerou cujo a solicitação de desenho gerou uma cena engraçada – Quando o menino disse que queria um desenho do Aquaman, uma menina do outro lado da sala indagou com descrença: “O AQUAMAN???” Coitado do Aquaman, nem mesmo as crianças o levam a sério…

Será que a DC vai conseguir dar a volta por cima com o filme Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge e o novo filme do Superman ano que vem? Ou a Marvel vai continuar mantendo seus personagens como mais populares na mente das pessoas comuns com seu Homem-Aranha novo e todo o barulho dos Vingadores? O jeito é ficar de olho.

CRISES, MASSACRES E MEGA SAGAS NOS QUADRINHOS

Recentemente foi anunciado que haverá na Marvel uma mega saga que vai por frente a frente os X-Men contra Os Vingadores. Resolvi fazer este post sobre estas mega sagas que volta e meia são feitas no universo dos quadrinhos americanos.

INFINITAS CRISES

O mercado de quadrinho americano é um dos maiores do mundo, e tem no seu gênero de super-heróis ícones como Superman, Homem-Aranha, Batman e por ai vai. Muitas pessoas criticam dizendo “Caramba! Eles usam os mesmo personagens a anos! Porque não colocam um fim e começam algo novo?” ou mesmo “Os personagens de comics não envelhecem, são eternos, passam por tanta coisa que não tem como acompanhar a cronologia!”. De certo modo estão certos, mas (ao meu ver) a indústria de quadrinhos americanos não é tão estática assim.

A mais ou menos a cada década eles criam alguma super saga intergaláctica onde morre muita gente (que volta mais tarde) e redefine todo o universo dos personagens, os atualizando para os tempos atuais. As revistas em quadrinhos não são feitas para você comprar para todo sempre, e sim para ser um entretenimento, uma diversão, uma aventura que você participa junto com o personagem. As mega sagas são criadas para atualizar os personagens a um novo tipo de publico, para apresentar os personagens a uma nova geração de leitores (afinal, o leitor de antigamente que cresceu brincando na rua não é o mesmo que cresceu com internet e video games avançados). Sagas assim acabam se tornando muitas vezes arcos interessantes de aventuras que depois são vendidos encadernados, vale a pena para quem não tem paciência para acompanhar mensalmente e quer algo completo.

PERSONAGENS ETERNOS

Não vejo problema em usarem os mesmos personagens por tanto tempo, afinal eles estão ai porque funcionam e porque eles tem novas coisas a contar para as gerações que estão chegando. Muitos leitores pegaram gosto por este passatempo através dos quadrinhos, alguns até aprenderam a ler com eles. Os personagens hoje já são ícones da cultura pop, se tornaram eternos e símbolos na mente das pessoas, já não se pode abandona-los assim do nada. Hoje a indústria de quadrinhos fatura muito com suas franquias em brinquedos, animações, games, roupas e por ai vai.

Enfim, acho que como medida editorial, estas sagas escatológicas são interessantes, pois a renovação (quando feita para melhor) é sempre interessante. A maioria dos leitores mais aficionados acaba por ficar frustrado com elas pois muitas vezes acabam por distorcer e deixando pontas soltas na cronologia, mas eles tem que entender que os quadrinhos não são feitos só para eles, mas também para aquela pessoa que está pegando uma revista pela primeira vez e não quer ter que saber sobre trocentas sagas passadas pra entender a história. Que venham novas sagas divertidas e interessantes, depois eu compro o encadernado e saiu felizão sem frustração alguma! =D

 

OBS. (Já votou no LISTÃO 2011 aqui do blog? clique AQUI e de seu voto!)

VOTAÇÃO DO LISTÃO 2011

Todo ano eu monto aqui um listão com os principais acontecimentos que se destacaram nos últimos 12 meses, os separando em categorias malucas e divertidas. Este ano resolvi inovar um pouco e fazer o listão com a sua ajuda.

Abaixo segue as categorias e uma pequena descrição do porque de cada indicado para você votar. Não demora muito, votar em todas as categorias leva uma questão de minutos. Divulgue esta votação nas suas redes sociais, entre seus amigos e tudo mais, afinal isto aqui não passa de uma grande brincadeira (mas se ninguém votar vai ficar sem sentido algum…) =D

 

FILME DO ANO

PLANETA DOS MACACOS – A ORIGEM (RISE OF THE PLANET OF THE APES): Há muito tempo não se vê nada que preste da mitologia do Planeta dos Macacos, mas este prequél conseguiu honrar os antigos. Com muitas referencias ao primeiro filme e uma trama que procura explicar como os macacos tomaram o controle do planeta, o filme foi uma bela surpresa este ano.

GIGANTES DE AÇO (REAL STEEL): Uma mistura de Rocky – Um Lutador, Falcão – Campeão dos Campeões e Tranformers –  e ficou muito bom. O filme reúne vários elementos que me agradam, e confesso que fui cativado pela relação entre os personagens. Os efeitos dos robôs ficaram muito realistas e interessantes.

SUCKER PUNCH – MUNDO SURREAL (SUCKER PUNCH): Ok, não é a melhor obra cinematográfica de todos os tempos, não tem um roteiro fabuloso e nem é original, mas é MUUUUITO legal! Sucker Punch é um filme que consegue mesclar vários elementos chaves como garotas em roupas sensuais, combates frenéticos, cenários fantasiosos e inimigos variados, tudo sem muita pretensão, apenas no intuito de divertir e passar uma mensagem motivacional no fim. A trilha sonora então é algo muito bacana.

ADAPTAÇÃO DO ANO

X-MEN – PRIMEIRA CLASSE (X-MEN – FIRST CLASS): O filme se mantém no universo dos mutantes criado pela Fox, que teve em sua franquia dois filmes interessantes, um terceiro que cavou uma cova e o Wolverine: Origem para se afundar de vez. Neste filme eles focaram mais na história entre o Professor X e Magneto, mas ao fim parece um filme do James Bond com poderes mutantes.

CAPITÃO AMÉRICA – O PRIMEIRO VINGADOR (CAPITAIN AMERICA – FIRST AVENGER): Eu sempre ficava imaginando como eles fariam uma adaptação do uniforme do Capitão América para o cinema que não ficasse ridícula, e ao meu ver o resultado final até que convenceu. Seguindo a linha dos últimos filmes da Marvel Studios, este também tem a intenção de apresentar o personagem e já direciona-lo para o filme dos Vingadores. O filme conseguiu tirar elogios do meu irmão, QUE NÃO SUPORTA o Capitão América. Só por isso já tem um mérito.

A GUERRA DOS TRONOS (GAME OF THRONES): Adaptações de livros para o geralmente ficam ruins, pois não conseguem condensar nem metade da essência da trama em um pouco mais de duas horas. Então porque não adaptar em forma de seriado? Esta ideia brilhante resultou em um dos seriados mais comentados dos últimos tempos. Apesar de algumas modificações, a série da HBO conseguiu se manter extremamente fiel aos livros de George R. R. Martin, e ainda fez com que várias pessoas descobrissem a fantástica série de livros das Crônicas de Gelo e Fogo.

PRAGA DO ANO

CAIXAS DE SOM PORTÁTEIS DE FUNKEIROS: Não bastava os celulares, agora os funkeiros conseguiram caixas de som pequenas com neon e luzes malucas que propagam o “batidão” para os quatro cantos, acabando com a paz e sossego de quem está por perto. Sério, estas caixas fizeram de uma fábrica no inferno.

MÚSICA “AI SE EU TE PEGO” DO MICHEL TELÓ: De todas as músicas pragas este ano, este definitivamente foi a pior. Como pode uma música que fica repetindo palavras pausadamente fazer tanto sucesso?

MUAMMAR KADHAFI: No início do ano várias ditaduras caíram uma após a outra, mas lá na Líbia, Muammar Kadhafi não largou o osso e não todo mês estava nos noticiários com aquela cara de estátua da ilha de páscoa. Inevitavelmente ele acabou sendo morto nas mãos dos rebeldes, mas ganhou uma indicação aqui no blog.

MORTO DO ANO

OSAMA BIN LADEN: E não é que finalmente pegaram o tal do Osama? O nosso terrorista favorito já havia virado personagem folclórico e ninguém mais achava que os EUA conseguiriam encontra-lo, porém em um ataque soturno eles mataram o barbudo. Fez-se mistério com o corpo, que foi jogado as profundezas do mar sem ninguém ver nada. Segundo os EUA esta medida foi tomada para que um altar para ele não se tornasse um local de adoração e afins… Sei…

AMY WINEHOUSE: Apesar de ser uma cantora de talento inquestionável, Amy não cuidava muito de sua saúde, abusando de drogas, bebidas e uma vida bem sem noção. Quando ela estava tentando entrar no eixos, a vida veio e cobrou o preço. Morreu jovem, mas deixou sua marca na cultura pop.

STEVE JOBS: A tecnologia da informação só é o que temos hoje por causa deste homem. Um gênio que sempre conseguia encontrar um meio de transformar a tecnologia em algo simples e acessível para todas as pessoas. Ele vinha lutando contra um câncer a algum tempo e infelizmente foi vencido, deixando seu legado par todos nós.

WTF DO ANO

ROCK IN RIO: Finalmente o Rock in Rio voltou a ser no Rio! O evento trouxe muitas bandas gringas, teve coisas boas mas também não deixou de ter suas bizarrices. De todas as coisas malucas que aconteceram, quero dar destaque ao Axel Roses. O cara demorou uma eternidade para entrar no palco, chegou com cosplay de Inspetor Bugiganga e fez mostrou um desempenho fraco no palco mediante as expectativas do público.

REBOOT DA DC: A DC resolveu reformar toda sua linha editorial, alterando a grande maioria dos personagens da empresa após a saga Flash Point. Muitas coisas interessantes apareceram, porém algumas poderiam ter sido evitadas. Uma delas foi a modificação dos uniformes de alguns personagens, como os Novos Titãs. O Super Boy com roupa de Go Go Boy e um Robin com asas não da pra entender. Também teve a volta de Rob Liefeld nas páginas de Rapina e Columba. O cara posta um vídeo ARTEFINALIZANDO ENQUANTO DIREGE! Sem mais meritíssimo.

KUDURO: Preciso falar alguma coisa? Os caras conseguiram pegar uma dança da África e devido ao duplo sentido do nome transformaram em uma música maluca que não tem nada a ver com a base da mesma. Eu tive muitas dúvidas se colocava isto em WTF ou Praga do ano, mas acho que é tão absurda que mereceu ficar nesta categoria.

O resultado da votação acontecerá no dia 31/12, até lá fique a vontade para votar. Até mais!