ANTI-HERÓIS

Toda história possui um protagonista, mas ele não precisa necessariamente ser um “herói” ou uma pessoa boa. Existem muitas histórias com protagonistas que são bandidos, assassinos, ladrões, e pessoas que na sociedade seriam execradas – Mas que dentro da história acabamos ficamos do seu lado. Porque os anti-heróis cativam tanto?

MERGULHANDO EM UM MUNDO ESCURO

Toda história tem múltiplas abordagens e pontos de vista, e o leitor tende a ficar do lado onde o ponto de vista é mostrado. Ao meu ver, histórias sobre assassinos, ladrões de banco e outros tipos de personagens que transgridam regras fazem o leitor se sentir dentro do mundo do personagem, vivendo e fazendo coisas a qual nunca fará na vida real. Normalmente o mundo destes personagens é “romantizado”, como nas histórias de piratas ou de casais ladrões de banco. Se você for pesquisar como os piratas eram na vida real, verá que não chega perto de todo o glamour e aventura que aparecem nos contos e filmes, mas se as histórias fossem mais realistas, conquistariam uma parcela menor de fãs.

ETHOS

O Ethos é um o modo ser ser, o caráter de um personagem. Se você notar, mesmo os assassinos protagonistas seguem uma determinada ética que permite ao leitor acreditar nele. Vamos pegar como exemplo o Han Solo de Star Wars, ele é um cafajeste, não respeita regras, atua no submundo, faz trapaças, mas ele em nenhum momento mata um inocente por capricho. Jack Sparrow de Piratas do Caribe também é um personagem que não hesita em colocar seus companheiros em encrencas para atingir seus objetivos, porém ele não mataria algum deles a sangue-frio – Se o personagem faz algo assim, imediatamente o leitor passa a questionar o comportamento do mesmo, pois ele fere uma determinada ética. No seriado Dexter, o personagem título é um serial-killer, mas como ele apenas mata bandidos todo mundo fica do seu lado. Os anti-heróis, que por não seguirem um padrão idealizado de perfeição no comportamento, muitas vezes acabam sendo mais interessantes que os heróis comuns.

CONFLITOS

Sempre é bom explorar o conflito existente em personagens assim, o fator que os levou a possuir esta personalidade e as consequências do caminho que ele escolheu. Muitas vezes este comportamento é apenas uma máscara para esconder uma dor profunda ou um trauma do passado. As pessoas são assim, tem seus conflitos internos, suas culpas e fantasmas, quando você acrescenta isso em um personagem o torna mais humano.

Enfim, tente trabalhar com um personagem de conceito duvidoso e explore as múltiplas opções que ele pode oferecer para sua trama. Divirta-se fazendo-o transgredir regras, fazer trapaças e tentando se dar bem a qualquer custo, mas sempre lembrando de também explorar seu lado humano. Falaremos mais sobre anti-heróis futuramente, aguardem!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s