MENINA DE OURO

Vencedor de 4 oscars em 2005 – filme, diretor, ator coadjuvante (Morgan Freeman) e atriz (Hilary Swank) – Menina de Ouro (Million Dollar Baby) é um filme que coloca você pra pensar sobre sua vida. É um drama extraórdinario e mereceu cada prémio recebido.

O filme conta a história de uma mulher que faz de tudo para ser treinada por um grande treinador. Após muita insistencia dela, ele a treina e vira seu agente, acompanhando seu sucesso. Clint Eastwood dirige e atua brilhantemente, você consegue sentir a dor de seu personagem em cada cena, enquanto Hilary Swank consegue fazer uma personagem doce e ao mesmo tempo forte e determinada, pois mesmo nos piores momentos ela conseguia segurar as dores que sentia (sejam físicas ou não). O personagem de Morgan Freeman narra tudo de uma maneira brilhante, conduzindo e descrevendo com poesia.

Frank, o personagem de Clint é um homem amargurado que possui uma filha a qual ele envia cartas e ela nunca responde. Ele procura apoio na igreja e na fé, mas acaba encontrando uma redenção junto a Mag, e cria um forte laço com ela. Eu gosto deste tipo de filme em que mostra duas pessoas de sexo oposto tendo um vínculo forte de afeição sem ser como um casal, mas nem por isso menos forte.

A trilha sonora bate bem com o filme, eu destaco os momentos em que tocam temas que remetem ao interior e ao campo quando mostra algo referente a vida da personagem de Hilary, ajudando a entrar no clima da cena.

(SPOILER) A única coisa que achei realmente que poderia ter sido melhor elaborada foi aquela queda no estilo “Premonição” em que ela cai com a cabeça na quina do banco caido.

O personagem de Clint vive repetindo a frase “Antes de tudo, se proteja”, e isto serve para todos nós, pois a vida não avisa quando vai dar algum golpe, e devemos estar sempre com a guarda levantada para suportarmos o quão forte a realidade pode nos ser – caso contrário beijamos a lona.

Anúncios

Uma resposta para “MENINA DE OURO

  1. A filmografia e Eastwood está cheia de redenção. Temos em seus personagens ou plots sempre um sujeito que errou em sua vida, que em um determinado momento tem a oportunidade de um recomeço. Isso as vezes lhe é tirado, ou não. temos isso em “Os Imperdoáveis”, em “Um Mundo Perfeito”, em “Gran Torino” e aqui em “A Menina de Ouro”.

    Mas se ponderarmos, nossas vidas são uma constante de redenções e erros.
    É como falo as vezes: a vida ñ tem manual de instruções… É se vivendo que se aprende sobre ela. Mas sempre é preciso tomar cuidado, pois uma hora a “cobertura de garantia” dela termina.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s